A presidente do Conselho Regional de Medicina do Acre (CRM-AC), Dra. Leuda Dávalos, participou nesta terça-feira (7) de uma reunião no Ministério Público Estadual (MP-AC) para discutir demandas voltadas ao atendimento de pessoas com transtorno do espectro autista (TEA).

O encontro foi proposto pelo Grupo de Trabalho na Defesa dos Direitos das Pessoas com Transtorno Autista (GT-TEA) do MP-AC, na pessoa da procuradora de Justiça Gilcely Evangelista, e também contou com a presença das médicas neuropediatras do Acre, Dra. Bruna Beyruth, Dra. Larissa Maria Pimenta e Dra. Cholen Rodrigues. Além do promotor de Saúde, Ocimar Sales Junior e da promotora de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa e Pessoa com Deficiência, Vanessa Muniz.

Doutora Leuda agradeceu o convite do MP e falou sobre a importância das discussões na busca por melhorias na assistência a pessoas com TEA, bem como, para assegurar condições mínimas adequadas de trabalho aos profissionais especialistas que atuam com esses pacientes no Estado.

“Em nome dos conselheiros e dos médicos, nós agradecemos ao Ministério Público por nos convidar para discutir essa pauta tão importante, para que a gente possa assegurar o acesso dessas pessoas ao que elas têm direito e também para garantir a autonomia do médico. Nos colocamos à disposição para contribuir com o que for possível e reafirmo a parceria do CRM com o MP tanto aqui em Rio Branco quanto nos municípios em prol de nossa sociedade”, disse.

A procuradora Gilcely Evangelista ressaltou o trabalho das profissionais que atuam no Estado no atendimento de crianças com autismo.  “Quero agradecer imensamente a vocês e parabenizar pelo trabalho que realizam junto à nossa população. São três profissionais para atender o Estado todo, tem que ter muito desprendimento e vocês provam isso a cada dia.”

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.